segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Zica vírus pode ser comprado na internet???

Nos últimos dias, uma notícia de um blog tem circulado, dizem que o Zica vírus teria sido criado em laboratório, e tem sido vendido para controle populacional.

A tal notícia se baseia em um anúncio de uma empresa de insumos para pesquisas científicas:



Pois bem, vamos aos fatos reais, e não especulações de teoria da conspiração:

1°- Cepas (amostras) de vírus e bactérias podem sim ser compradas, para realização de pesquisas. sou bióloga, não trabalhei diretamente com bactérias, mas muitos amigos sim, e cansei de ver eles comprando.

2° - Qualquer pessoa pode comprar então?? Óbvio que não. Para compra é pedida a identificação do laboratório ou instituição de ensino, ou então registro profissional do comprador (biólogo, biomédico ou bioquímico, em geral). Também vale lembrar que a maior parte destas cepas são vendidas por empresas estrangeiras, que exigem a apresentação de autorização para importação por parte do comprador.

3° - Eles falam que o vírus foi criado pela fundação Rockfeller, pois ela está registrada como depositante da cepa. Depositante quer dizer quem forneceu essa cepa para eles, não que a fundação tenha criado a cepa!!!!!

4° - Eles falam sobre a introdução da vacina TPA em 2014 no calendário de vacinação das gestantes no Brasil. Bem, o Brasil não é o único país a ter essa vacina em seu calendário. Maíra Soligo Takemoto, parteira renomada e uma pessoa muito bem informada, levantou essa questão. Como ela mesma lembra, os EUA e o Reino unido já recomendavam essas vacinas. Neste link você pode conferir: https://www.facebook.com/malibertad/posts/10207803948311943?fref=nf&pnref=story


Então pessoal, vamos especular menos, pensar mais, e limpar o quintal???

De nada adianta ficar na frente do computador criando teorias da conspiração, e deixar seu quintal um lixo, cheio de mosquitos!!!!

domingo, 17 de janeiro de 2016

Alergias alimentares podem estar vinculadas à hiperatividade do Sistema Imunológico no nascimento

Milhares de crianças em todo o mundo apresentam algum tipo de alergia alimentar, muitas vezes detectada ainda no primeiro ano de vida. Entender como a reação alérgica surge é um dos pontos principais para o tratamento, e quem sabe até a prevenção do surgimento de alergias.


Imagem: Pixabay


Uma nova pesquisa realizada na Austrália descobriu que as crianças que nascem com células do sistema imunológico excessivamente ativas são mais propensas a desenvolver alergias ao leite, ovos, amendoim, trigo e outros alimentos comuns. Esta descoberta pode levar a futuros tratamentos para os bebês para prevenir alergias alimentares na infância. Foram descobertas alterações nas células do cordão imunológico que estão associadas com um risco aumentado destes bebês desenvolverem alergias alimentares no primeiro ano de vida. Basicamente, esses bebês têm sistemas imunológicos que estão predispostos a desenvolver a doença alérgica no momento em que nascem.

A pesquisa foi realizada com amostras do sangue de cordão umbilical de bebês acompanhados pelo estudo Barow, que acompanhou mães durante a gravidez e seus bebês desde o nascimento com o objetivo de identificar fatores ambientais e genéticos que influenciam a imunidade e alergia. Nas crianças que apresentaram algum tipo de alergia alimentar, os monócitos (células do sistema imune) de mostraram mais ativos já no nascimento. Os monócitos são células menos especializadas do sistema imune, agindo na “linha de frente” da defesa do organismo.

Neste estudo, estas alterações das células imunológicas foram associadas com o desenvolvimento de alergia a alimentos como leite e ovos, amendoins e posteriores, trigo e outros alimentos.
O próximo passo do estudo é identificar o que faz com que estas células se tornem mais ativas. Não forem encontradas correlações entre a via de nascimento (parto normal ou cirurgia cesárea, eletiva ou não) e a ocorrência de uma maior atividade nas células imunes. No entanto, já é conhecido, por meio de outros estudos, que o contato do bebê com microrganismos da mãe no momento do nascimento é fundamental para o desenvolvimento do sistema imunológico, e este contato somente ocorre através do parto normal, quando o bebê passa pelo canal vaginal.

Diversos fatores ambientais, como alimentação, estilo de vida, etc, também estão relacionados com o surgimento de alergias. Estudos como este mostram a importância do adequado acompanhamento da gravidez e saúde da gestante, como forma de prevenir o surgimento de alergias.

Artigo adaptado do original publicado por The conversation, veja aqui o artigo original.


Um dos estudos que mostra a relação entre a via de nascimento e o sistema imunológico é este Fecal Microflora in Healthy Infants Born by Different Methods of Delivery: Permanent Changes in Intestinal Flora After Cesarean Delivery


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Tsu: como funciona isso

Então pessoal, não é novidade para ninguém que que tenho meu perfil no Tsú, a rede social que está conquistando cada dia mais gente, e que traz o grande diferencial de compartilhar com seus usuário parte da renda que é gerada pelo conteúdo criado pelo usuário. Ou seja, tudo o que você posta no tsu, assim, como nas outras redes sociais, gera renda, pela visualização das propagandas que vem ali no canto (funciona assim aqui no blog também, tenho conta no adsense, do Google, e recebo para que essas propagandas fiquem ai no canto, ou vocês acham que é de graça pessoal???).

Então, pensando na brasileirada que está invadindo o tsu, resolvi dar algumas dicas de como funciona o tsu. Aí vão:


  • Cada usuário pode ter 5000 amigo, e seguir 1000 pessoas. Quanto mais amigos você tem, e mais seguidores, mais suas postagens são vistas. Interaja, visite o perfil dos amigos, distribua likes, comente  e compartilhe as publicações deles, interação é tudo no tsu.
  • Por falar em likes e comentários, os limites são:
  • 45 postagens por dia, sendo que 15 podem ser compartilhamentos de outros usuários
  • 1000 likes e 1000 comentários por dia.
  • o "dia" do tsu vira às 21:00 aqui no Brasil. Então, se você estourou seu limite em um dia, espere até esse horário para postar e compartilhar mais.
  • Compartilhar é ótimo, você gera visualizações para quem postou, e faz amizades, mas lembre de postar coisas em seu feed também, para que seus amigos possam compartilhar.
E por falar em postagens... o que postar no tsu???

Pois bem, a premissa da rede é que os usuários gerem conteúdo original, ou seja, simplesmente postar fotos tiradas do google, não tem valor. Poste fotos próprias, textos pessoais (oras, no face fazemos isso o tempo todo!), notícias e artigos que encontrou na net e achou legal, enfim, evite ficar só com imagens do google!

Quanto mais você interagir, melhor!!!

Ah, e não se esqueça: convide os amigos, pois a renda gerada pelas pessoas que entraram com o seu convite, você recebe uma parte também!!

Não tem perfil no tsu?? Tá esperando o que??? Clica na foto  aqui do lado, onde aparece tsu escrito, vai abrir o meu convite, só fazer o seu perfil!!!!


Obs: o tsu tem messenger também, quem tiver dúvidas pode me chamar lá, ok?


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Enem 2015: questão comentada

Vamos começar a série de questões comentadas ciências da natureza.

A questão 50 da prova amarela dizia:


A resposta, neste caso, é a alternativa A. a explicação é bem simples: a cabeça do fósforo contém enxofre, que ao entrar em combustão, se oxida formando dióxido de enxofre, uma substância ácida. Desta forma, o pH da solução cai, e a fenolftaleína perde sua coloração. Este experimento é muto usado para demonstrar a chuva ácida.

Aguardem, logo teremos mais questões

sábado, 24 de outubro de 2015

O uso indiscriminado de antibióticos e a resistência bacteriana

Hoje vi uma imagem compartilhada no Facebook que me preocupou muito. Uma manicure ensinava a adicionar amoxicilina ao esmalte, com a intenção de fortalecer as unhas. Você tem noção do risco que este tipo de atitude trás para sua saúde??



A amoxicilina é um antibiótico, um derivado da penicilina, cuja venda é controlada no Brasil, ou seja, para comprar é preciso receita, e uma via da receita fica retida na farmácia. Isso é frescura?? Não, pode ter certeza que não.

Antibióticos, principalmente os derivadas da penicilina, possuem um risco muito alto de gerar reações alérgicas (ou seja, são altamente alergênicos). Por isso, o uso indiscriminado pode acabar gerando sensibilização e reações alérgicas. Imagine, ficar usando o remédio a toa, e quando tiver uma infecção, não poder usá-lo poi desenvolveu alergia???

Outro fator de risco: a resistência das bactérias. Bactérias resistentes a antibióticos ocorrem de forma natural. Estudos já estimaram que no Brasil até 80% das bactérias possam ser resistentes a antibióticos (DUARTE et al., 1994). Essa resistência ocorre, dentre outros fatores, em função do uso excessivo dos antibióticos: quanto mais se usa, mais as bactérias são expostas. As que são resistentes se reproduzem, fazendo com que mais  bactérias resistentes surjam. Desta forma, quando alguém precisa tomar o antibiótico para tratar uma infecção, e está contaminado com bactérias resistentes, não vai fazer efeito nenhum, e a infecção vai progredir no organismo.

Mais um fator de risco: se expor a antibióticos sem necessidade acaba por prejudicar a microbiota saudável de nossa pele e intestinos. Temos bactérias que são boas, que auxiliam nas defesas da pele, e na absorção de nutrientes pelo intestino. os antibióticos matam também essas bactérias, reduzindo nossas defesas. 

Então, por favor, não faça esse tipo de coisa: antibiótico, somente para tratar infecções, e com receita médica. Está com as unhas fracas??? Use um esmalte fortalecedor, aumente a ingestão de alimentos saudáveis (unhas fracas em geral ocorrem por má nutrição), mas antibióticos, NÃO!!!!

Referências

Duarte D.; Veras M.A.; Martins J.A. Perfil evolutivo da resistência do Staphylococcus aureus – experiência do Hospital Adventista Silvestre. In: Programa Oficial e Resumo de Trabalhos do VIII Congresso Brasileiro de Infectologia, Porto Alegre. Resumo nº 91, p. 82, 1994.

Davies, J.; Davies, D. Origins and evolution of antibiotic resistance.Microbiology and Molecular Biology Reviews, n. 74, v. 3, p. 417-433. 2010.


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Último episódio de CSI

Há 15 anos atrás, não via adolescentes falando em serem peritos criminais. Na verdade, ninguém sabia direito o que um perito fazia. Mas isso mudou aós o fenômeno CSI, a série que popularizou (e glamorizou) um trabalho de extrema importância, realizado por cientistas de diferentes áreas. E agora, a série chega ao fim.




Irá ao ar nesta quarta, dia 21/10, pelo AXN o último episódio da série Crime Scene Investigation - CSI. A série que trouxe para dentro de nossas casas o intrincado universo da investigação criminal, coleta e análise de amostras DNA, dentre tantos outros conceitos que até então eram completamente desconhecidos.

A contribuição que a série trouxe para a divulgação de diversos conceitos científicos é enorme. 10 anos atrás, quando comecei a dar aula, não via meus alunos falando que queriam ser peritos criminais quando crescessem, aliás, mal se sabia o que um perito fazia, não existiam especializações no país. Hoje em dia volta  e meia um aluno vem me perguntar o que precisa estudar para ser perito.

É claro que sabemos que a profissão não é aquele glamour todo. Tenho amigos peritos na vida real, e o buraco é bem mais embaixo. quem me dera um resultado de DNA sair tão rápido!!! Mas sim, a série trouxe uma nova visão para o meio científico em geral. Ser cientista deixou de ser chato, um cara trancado em um laboratório cheio de tubos e equipamentos, e passou a ser legal.

Muitos personagens mudaram ao longo destes 15 anos, aliás, Grissom deve aparecer no último episódio! Mas os casos sempre cativaram. Muitos episódio que emocionam (assista o episódio 19 da primeira temporada, "Gentle, gentle", sem ficar com o coração apertado, impossível). E por isso, com toda certeza, CSI vai deixar saudades.

Então, amanhã, às 22:00, quem é fã tem compromisso marcado!!!!

"Siga as evidências" - Gil Grissom

sábado, 17 de outubro de 2015

Afinal, a fosfoetanolamina cura o câncer?

Nos últimos dias, muito se tem falado sobre a fosfoetanolamina, uma substância que estaria sendo estudada pela USP, e que estaria promovendo resultados quase milagrosos na luta contra o câncer. No entanto, a universidade estaria sendo proibida de distribuir a tal substância, o que motivou uma campanha nas redes sociais, pedindo sua liberação.



No entanto, a própria universidade, há alguns dias, lançou um comunicado onde esclarece a questão. De acordo com a universidade, a substância é produzida comercialmente, para outros fins, e ainda está na fase de testes pré-clínicos, ou seja, os testes oficiais, com resultados analisados de forma científica, até agora só foram realizados em culturas de células e animais, ou seja, não existem resultados oficiais sobre a eficácia da droga na cura do câncer em humanos, nem sobre possíveis efeitos colaterais!!!

Mas, afinal, o que é a fosfoetanolamina???? 

Na verdade, essa substância é produzida de forma natural pela membrana celular, e foi isolada pela primeira vez em 1936, por Outhouse, em tumores bovinos (OUTHOUSE, 1936). Ela também já foi encontrada em intestino de ratos e tecido cerebral bovino. Vários trabalhos já foram realizados, tentando entender qual a função biológica dessa substância, e ela atualmente é produzida em laboratório.

Muitos estudos vem sendo realizados, já foram sim encontrados bons resultados com relação ao efeito da fosfo em tumores, principalmente melanomas, mas ainda são os chamados testes pré-clínicos, ou seja, foram realizados em animais, não foram realizados restes em humanos. Basta buscar no Google Acadêmico traz várias pesquisas, em português são são muitas, mas em inglês, ao buscar o termo Aminoethyl phosphoric, surgem diversas.

É claro que pode sim trazer bons resultados, é uma esperança, mas antes de sair fazendo abaixo assinados e campanhas pedindo a distribuição da substância, convêm esperar que mais testes sejam feitos, mesmo porque não se sabe quais efeitos colaterais essa substância pode causar.

E para quem acha que esses testes são besteira, que deveria se liberar a substância, mesmo sem conhecer seus efeitos colaterais, de uma pesquisada no termo TALIDOMIDA, e depois conversamos, ok? 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

OUTHOUSE, E. L. Amino-ethyl phosphoric ester from tumours. Biochemical Journal, 30(2), 197. 1936.