domingo, 17 de janeiro de 2016

Alergias alimentares podem estar vinculadas à hiperatividade do Sistema Imunológico no nascimento

Milhares de crianças em todo o mundo apresentam algum tipo de alergia alimentar, muitas vezes detectada ainda no primeiro ano de vida. Entender como a reação alérgica surge é um dos pontos principais para o tratamento, e quem sabe até a prevenção do surgimento de alergias.


Imagem: Pixabay


Uma nova pesquisa realizada na Austrália descobriu que as crianças que nascem com células do sistema imunológico excessivamente ativas são mais propensas a desenvolver alergias ao leite, ovos, amendoim, trigo e outros alimentos comuns. Esta descoberta pode levar a futuros tratamentos para os bebês para prevenir alergias alimentares na infância. Foram descobertas alterações nas células do cordão imunológico que estão associadas com um risco aumentado destes bebês desenvolverem alergias alimentares no primeiro ano de vida. Basicamente, esses bebês têm sistemas imunológicos que estão predispostos a desenvolver a doença alérgica no momento em que nascem.

A pesquisa foi realizada com amostras do sangue de cordão umbilical de bebês acompanhados pelo estudo Barow, que acompanhou mães durante a gravidez e seus bebês desde o nascimento com o objetivo de identificar fatores ambientais e genéticos que influenciam a imunidade e alergia. Nas crianças que apresentaram algum tipo de alergia alimentar, os monócitos (células do sistema imune) de mostraram mais ativos já no nascimento. Os monócitos são células menos especializadas do sistema imune, agindo na “linha de frente” da defesa do organismo.

Neste estudo, estas alterações das células imunológicas foram associadas com o desenvolvimento de alergia a alimentos como leite e ovos, amendoins e posteriores, trigo e outros alimentos.
O próximo passo do estudo é identificar o que faz com que estas células se tornem mais ativas. Não forem encontradas correlações entre a via de nascimento (parto normal ou cirurgia cesárea, eletiva ou não) e a ocorrência de uma maior atividade nas células imunes. No entanto, já é conhecido, por meio de outros estudos, que o contato do bebê com microrganismos da mãe no momento do nascimento é fundamental para o desenvolvimento do sistema imunológico, e este contato somente ocorre através do parto normal, quando o bebê passa pelo canal vaginal.

Diversos fatores ambientais, como alimentação, estilo de vida, etc, também estão relacionados com o surgimento de alergias. Estudos como este mostram a importância do adequado acompanhamento da gravidez e saúde da gestante, como forma de prevenir o surgimento de alergias.

Artigo adaptado do original publicado por The conversation, veja aqui o artigo original.


Um dos estudos que mostra a relação entre a via de nascimento e o sistema imunológico é este Fecal Microflora in Healthy Infants Born by Different Methods of Delivery: Permanent Changes in Intestinal Flora After Cesarean Delivery


Nenhum comentário:

Postar um comentário